« Home | Os substituídos (descubra as diferenças) » | «Eight rules for writing fiction»: words from the ... » | Google sex maps » | Esta noite, o jogo do ano: » | Take a sad song and make it graphic (da série "des... » | Inspector Clouseau versus Jack Donaghy » | A toda a parte / Chegam os vampiros » | «How could we possibly hope to fight them?» » | Buffy: the terminator slayer (revista de postas) » | Agora sim, finalmente... » 

08 novembro 2009 

Breviário de fitas: Avatar

Surrogates, Jonathan Mostow

«It's different when you actually feel the pain.»

E mais uma vez, voltamos ao mesmo: uma boa premissa, um conceito curioso e um universo bem explorado, aliados a efeitos visuais topo-de-gama e a uma estrela de série A, não fazem por si só um bom filme. Para isso é preciso muito mais do que um funcionário bem comportado por trás da câmara e um actor/personagem em formato o-que-é-que-eu-ando-aqui-a-fazer. Por isso é que, mais do que a adaptação de uma graphic novel de culto, há alturas em que este Surrogates mais parece a adaptação de um jogo de computador oco e deslavado. Talvez seja o excesso de personagens sem densidade ou interesse (é que nem o suposto vilão se safa), talvez sejam os twists que de tão óbvios se anulam, talvez seja a falta de algo que entusiasme ou algo a que nos possamos prender ou com que nos possamos realmente preocupar... Enfim, safa-se o início e o ar caricatural de um futuro desenhado a régua e esquadro, o que faz com que o filme, não sendo empolgante por aí além, também não seja completamente desinteressante.
__________

Etiquetas:

Links to this post

Criar uma hiperligação

B.I.

Coisas Breves

Powered by Blogger
and Blogger Templates