« Home | Foge, foge, S. Joge » | O licor de peppermint contra a ginginha caseira » | Ora bolas! » | Killed Bill » | Última hora: finalmente, a notícia que o mundo esp... » | Breviário de leituras: Tu ainda não gostas de mim » | Pete Yorn + Scarlett Johannson = » | WARNING! » | Breviário de fitas: A besta humana » | Words from the wise (11) » 

10 junho 2009 

Foge, foge, S. Joge (parte 2: o rescaldo)

Uma plateia cheia de saudades dos Ornatos, um palco cheio de brinquedos para usar, dois discos cheios de canções para mostrar e cinco músicos cheios de talento para dar e vender. Foi quanto bastou para fazer esquecer um arranque chôcho (talvez a expectativa, talvez a ansiedade), uma sala pouco conveniente (este São Jorge não é amigo de canções) e algum público pouco interessado (em certas zonas do balcão falava-se mais do que se ouvia, noutras estava-se mais para se mostrar do que para ver). A noite lisboeta de Manel Cruz foi tanto das suspresas como dos refrões em coro, foi suave mas intensa. Foi bonita.
__________

Etiquetas:

Links to this post

Criar uma hiperligação

B.I.

Coisas Breves

Powered by Blogger
and Blogger Templates